Mau hálito é doença?


Halitose ou mau hálito não é uma doença,
mas indica a existência de alguma desordem orgânica local ou sistêmica,
 com possíveis alterações patológicas que precisam ser localizadas,
diagnosticadas e tratadas.

Por que temos mau hálito quando acordamos?

Durante o sono ocorrem alguns fenômenos fisiológicos
 (leve hipoglicemia, redução do fluxo salivar, acúmulo de
células epiteliais descamadas e restos de alimentos em
 estado de putrefação) que produzem o mau hálito matinal.
Esse mau hálito é considerado normal e deve desaparecer

após a escovação e/ou café da manhã, caso contrário,
deverá ser investigado e tratado.
 

Qual é a causa do mau hálito?




São inúmeras as causas do mau hálito.
A grande maioria é de origem bucal.
Cada causa exige um tratamento específico.
As mais comuns são a saburra lingual (placa bacteriana da língua),
 doenças periodontais (gengivite, periodontite, etc.),
função intestinal alterada, diabetes, estresse, sinusites, entre outras.
 
Por que o portador da halitose não percebe o seu problema?


O olfato se adapta facilmente a odores de presença constante como,
 por exemplo, o perfume que se usa.
Isso ocorre porque o epitélio olfatório se cansa de perceber
 repetidas vezes o mesmo odor e acaba se acostumando (fadiga olfatória).
Desta forma, o indivíduo com halitose, em pouco tempo,
acostuma-se ao próprio mau hálito.
Qual a importância de se eliminar do mau hálito?

O indivíduo portador da halitose é discriminado em suas relações
sociais e afetivas, pois a halitose “agride” as pessoas que
convivem com o portador.
Além disso, seu controle evita outras doenças, já que a boca
é a porta de entrada para microorganismos prejudiciais à saúde. 



 
Se você acredita ter mau hálito, não se constranja,
você não está sozinho.
 No Brasil, pelo menos 30% da população
sofre de mau hálito crônico.
 Pergunte à uma pessoa de sua confiança
 se seu hálito está forte.
Tenha um confidente para ajuda pessoal.
Em caso afirmativo, procure ajuda especializada.