Seguem informações de um novo campo de estudo da odontologia: Barotrauma!

Este surgimento surgiu devido a frequentes ocorrências de emergências de quadros de dor em viagens aéreas. Existem diversos fatores que predispõe a dores durante vôos, que  terrível!!!
A fim de alcançar melhor entendimento destas ocorrências, cabe relembrarmos uma importante Lei da Fisica: a Lei de Boyle, a qual diz que o volume de um gás a temperatura constante varia inversamente com a pressão ambiente externa.

Assim, as mudanças no volume de gás dentro das cavidades rígidas do corpo humano associadas as mudanças de altitude, podem causar diversos efeitos adversos conhecidos como barotrauma. A expansão destes gases procurando uma via de saída inexistente leva a fortes dores. Estas podem ocorrer em situações de alterações de altitudes como vôos, mergulhos e escaladas.


Devido a estes fatores, é imprescindivel um check up odontológico através de apurado exame clínico e radiográfico. Estes exames visam a checagem de possíveis  falhas em restaurações e/ou cáries secundárias latentes sob restaurações que em condições de grandes alterações barométricas podem caminhar para fraturas dentais e fortes dores! Inflamações pulpares (nervos do dente) e abscessos gengivas e dentais que estejam latentes podem também agudizar nestas condições.


Há também uma redução na retenção de peças protéticas devido a alterações de pressão nas microbolhas formadas nas camadas de resina usados nas colagens das mesmas.

Existem ainda diversos artigos relatando a relação entre má oclusão dental e disfunção do tubo de Eustaquio. Uma placa de mordida inter oclusal pode ser uma medida preventiva e/ou terapêutica.
A barosinusite também pode manifestar-se como dor de dente!

Vai viajar? Check up antes!!!

Dra. Andrea Martinez
Cirurgiã Dentista
CRO 44794
Clínica Villa Vita
Rua: Sales Júnior, 642 – Alto da Lapa.
(11) 3832-1062 / 3832-10163