A porcelana e a resina são materiais odontológicos diferentes, mas com funções semelhantes. Ambos são utilizados em reconstruções dentárias, como facetas, inlays – restaurações menores que não incluem as pontas (cúspides) -, onlays – incluem uma ou mais cúspides -, overlays – incluem todas as cuspides de um dente -, e coroas. Cabe ao cirurgião dentista explicar as vantagens e desvantagens e os custos de cada um, avaliando e decidindo sempre com bom senso qual material usar.

A resina tem como vantagem menor custo, estética inicial excelente e facilidade de reparo. As desvantagens são a durabilidade, pois elas tendem a mudar de cor conforme o decorrer dos anos,e a menor resistência, com mais facilidade para desgastes. Existem três tipos de resinas:
– Resina composta: utilizadas em restaurações e facetas diretas;

– Resina acrílica: utilizadas em dentaduras, próteses parciais removíveis e provisórios;

– Resina indireta: feitas em laboratório, utilizadas em coroas, facetas e onlays.


A porcelana é o que temos hoje de mais próximo ao dente natural. Por ser uma material inerte, não sofre alteração de cor com tempo. Tem alta resistência ao desgaste, mas mais dificuldade em reparo caso haja fratura.

Existem vários tipos de marcas comerciais de porcelana, dependendo da indicação ela pode estar associada a uma estrutura de metal interna para reforçar a sua estrutura devido à carga mastigatória, e, em outros casos, associadas a uma estrutura tão resistente quanto o metal, mas com a cor semelhante a própria porcelana, como a Zircônia, caso em que a estética é essencial.

Não existe entre os dois materiais um melhor, e, sim, o mais indicado. Cada caso tem a sua particularidade. E é obrigação do dentista orientar o paciente, que, na maioria das vezes, desconhece os materiais.


Dra. Andrea Martinez Gotardo – RT/CRO 44794

Villa Vita Odontologia e Saúde 
(11) 3832-1062/1063