UMA FORMA DIFERENTE DE CONVERSAR COM SEU FILHO

Lêda Zoéga Parolo

Psicóloga Clínica
mãe-e-filho

Há algum tempo li um texto, mas infelizmente não lembro onde, que falava sobre como poderíamos alcançar uma conversa mais longa com nossos filhos pequenos, e que
não dessem respostas monossilábicas. Um exemplo era: ao invés de perguntar, na saída da escola: Foi tudo bem? , e obter um simples “ Tudo.”, sugeria outras perguntas.

Me lembrei deste texto hoje, e é muito interessante porque ajuda a mudarmos o foco  e nos aproximarmos deles:

Alguns exemplos de perguntas:

  1. Qual foi a coisa mais engraçada que aconteceu hoje?
  2. Algum de seus amigos estava usando algo vermelho?
  3. O que te fez sorrir hoje?
  4. Se você fosse o professor por um dia, o que gostaria de ensinar aos seus amigos?
  5. O que você comeu no lanche? Gostaria de ter sido diferente?
  6. Que nota você daria para a sua escola, de 0 a 10? E o que poderia ser diferente?
  7. Qual o lugar da sua escola que você gosta mais?
  8. Algum de seus amigos ficou triste? O que aconteceu?
  9. Alguém fez uma coisa que você achou bem engraçado?

E assim por diante…..

Experimente isso com seu filho pequeno, e crie novas formas de interagir com ele.

É uma experiência muito gostosa.