Em algum momento da vida iremos nos deparar com situações dolorosas de perda de pessoas e animais que amamos e de relações que são muito importante para nós.

luto

Cada um tem um modo peculiar de lidar com a perda, mas afinal, como ajudar a criança a lidar com o luto de um modo saudável?

Naturalmente, o ser humano tem dificuldades em lidar com a perda, com doenças e emoções negativas, pois trata-se de uma questão social e cultural. Portanto, é comum os pais tentarem poupar seus filhos das frustrações, porém, se observarmos, a vida por si só já proporciona várias perdas no nosso cotidiano, seja o ônibus que perdemos, o horário, enfim, sempre existirá uma perda.

É muito comum os pais tentarem substituir, ou dizer que o animal de estimação que morreu fugiu, dificultando o processo de aprendizagem da elaboração do luto, tornando mais difícil a criança lidar com esse sentimento quando alguém da família ou conhecido vem a óbito.

É importante saber que o luto possui as mesmas fases de quando se faz a separação da mãe e do bebê na escola, ou quando o mesmo é privado da mãe, pois o mesmo chora muito, acreditando que a mãe não irá mais voltar, esse processo vai passando por algumas fases, até a criança se reorganizar e entender que a vida continua, mesmo sem a presença daquele que amamos.

Em alguns casos a criança tende a se culpar pela morte, é preciso q ela saiba q                  não tem nada a ver com ela, não é culpa dela, tem que conversar e ouvir a criança.

O que fazer quando a criança está sofrendo por causa do luto?

  • Procure entender qual o grau de percepção que a criança tem da morte (universal, reversível, irreversível), assim sendo, deixe a criança explicar o que ela pensa a respeito;
  • Divida a dor do luto, permitindo que a criança demonstre o que sente, através do choro, da raiva, pois toda reação é devido à dor;
  • É difícil para a criança verbalizar, sente vergonha e esconde, portanto a escola precisa saber que a criança está passando por essa dor;
  • Chore na frente da criança, não esconda seu sofrimento, isso a deixará mais segura e a fará aprender a lidar com a perda;
  • Procure saber quais as fantasias que estão passando pela cabeça da criança diante do luto, pois ela precisa lidar com ele de acordo com a realidade;
  • Cada um vive o luto de uma forma, portanto, é preciso respeitar esse momento, essa fase.

A morte é algo natural e inerente a todo ser vivo, procure ver com naturalidade, uma dica é ter plantas, flores, ou pequenos animais de estimação, assim, quando eles morrerem, é possível que a criança compreenda a morte como algo natural e lidar com ela de uma forma saudável.

Ninguém tem o poder de aprender a encarar a morte ou estar preparado para lidar com ela, pois o sofrimento da perda sempre vai estar presente e são fases que iremos passar. O importante é acolher e dar o suporte que a criança precisa para ela poder extravasar esse sentimento.

Quando o sofrimento torna-se demasiado e persistente por muito tempo, é bom fazer um acompanhamento com um profissional.

***Esse texto é meramente informativo e não substitui a consulta com um profissional***

Ivana Freitas

Psicóloga Clínica e Institucional