Vamos falar sobre as diferenças entre baby blues e depressão pós-parto?

Pode parecer que não, mas é cada vez mais comum que algumas mulheres sintam certa tristeza e bastante irritabilidade depois que seus bebês nascem. E isso nada tem a ver com a saúde e a perfeição do bebê. O bebê nasceu saudável, perfeito, a gravidez foi tranquila, mas mesmo assim, a mãe é tomada por uma forte e inexplicável melancolia. Na maior parte das vezes o diagnóstico é o chamado Baby Blues. É uma tristeza passageira causada pelas bruscas alterações hormonais que acometem a mulher no pós-parto. O conhecido Baby Blues não requer tratamento e nem tampouco medicamentos e acompanhamento médico.  Ele simplesmente acaba sozinho e isso pode demorar até 25 dias depois do nascimento do bebê. Até lá, o ideal é a mamãe contar com o apoio familiar para as questões práticas: banho, colocar para dormir, trocar fraldas…

mi_2739007575250924

Já a depressão pós-parto é – como o próprio nome diz – depressão. Ou seja, tem histórico, vem de antes da gravidez e do nascimento e requer cuidados médicos especiais como tratamento e medicação.  No caso deste diagnóstico, a mãe vive sentimentos angustiantes como a falta de vontade de viver, o desejo de se matar e de agredir a criança também. Por isso, a mulher precisa ser cuidada e acompanhada por bons profissionais que identifiquem suas reais necessidades.
Em muitos casos onde o diagnóstico é a depressão, os pacientes são tratados com medicação. O mais importante é entender os sinais que a mulher com antecedentes depressivos dá durante a gestação. Isso porque um estudo americano observou mais de 8 mil mulheres com depressão pós-parto em diversos níveis, e concluiu que 2/3 delas manifestaram a doença de diferentes formas durante a gravidez.

Prevenir é sempre o melhor remédio !