A  Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou o registro do novo medicamento Lynparza® (olaparibe). O remédio é indicado para o para o tratamento de manutenção de pacientes adultas com carcinoma de ovário seroso de alto grau (um tipo de câncer de ovário avançado), incluindo carcinoma da trompa de Falópio (parte do sistema reprodutor feminino que conecta os ovários ao útero) e carcinoma do peritônio (a membrana de revestimento do abdômen).

 

O Lynparza® é usado em pacientes que apresentam mutação em um dos dois genes conhecidos como BRCA1 e BRCA2 e que têm doença recorrente – quando o câncer volta após tratamento anteriores. Ele deve ser usado depois do tratamento com medicamentos à base de platina, quando o tumor teve uma diminuição do tamanho ou desapareceu completamente com este tratamento e a paciente manteve uma resposta durável, por pelo menos 6 meses.

O câncer de ovário é pouco frequente, porem com alta letalidade. De acordo com o INCA, são registrados no Brasil aproximadamente 5 mil casos novos por ano, sendo que 3/4 dos mesmos apresentam-se em estágios já avançados no momento do diagnóstico.A responsável pelo registro do medicamento no Brasil é a empresa AstraZeneca do Brasil Ltda, localizada em São Paulo