Este tipo de cárie é mais comum em pessoas idosas pois, com o nosso envelhecimento, ocorre uma retração gengival fisiológica, deixando parte da raiz do dente exposta. Dessa forma, essa área fica mais sujeita a cárie, especialmente por não ser revestida por esmalte como o resto da coroa dentária.

A diminuição do fluxo salivar (devido ao uso de certos medicamentos), problemas que prejudicam a destreza manual (como artrite, AVC e doença de Parkinson) e situações em que há dependência de cuidados de terceiros para atividades básicas, como a higiene bucal, também favorecem o aparecimento desse problema.

Quando a cárie radicular já está instalada, é necessário realizar um tratamento curativo. Porém, o mais importante é a prevenção, incluindo ações como visita regular ao dentista, aconselhamento nutricional, aplicação tópica de flúor profissional, campanhas educativas e a capacitação em higiene bucal para cuidadores de idosos. Visite seu dentista e saiba como se proteger desse e de outros problemas bucais.