Mês mundial do Alzheimer

Alzheimer

Você sabia que setembro é o mês mundial do Alzheimer?

O alzheimer é uma doença progressiva que destrói a memória e outras funções mentais importantes. Isso ocorre por que as conexões das células cerebrais e as próprias células se degeneram e morrem. É uma doença que tem forte impacto nas famílias, porque o paciente precisa de muto amor, carinho e paciência.

De modo geral, (e claro que é preciso considerar a fase da doença) as mudanças em quem tem alzheimer podem acometer as áreas comportamental, física e cognitiva. Na cognição, o paciente pode apresentar dificuldade de raciocínio, confusão mental, delírio, desorientação e esquecimento. Também é comum que o paciente invente situações, não consiga se concentrar e sofra de perda de memória recente. No que diz respeito ao comportamento, um paciente de alzheimer pode apresentar agressividade, mudança de personalidade, agitação e muita ansiedade. A partir de um determinado momento, esse paciente pode se perder na rua, pode siar vagando sem rumo, pode repetir muitas vezes a mesma palavra fora de contexto. Fisicamente é uma doença que acaba com o apetite e gera importantes impactos nas contrações musculares, no ritmo e até na capacidade de se movimentar coordenadamente.  Podem acontecer várias crises de incontinência urinária, irritações repentinas de humor e confusão na hora de falar.

Apesar de não haver cura, os tratamentos disponíveis melhoram a cognição e funções mentais do paciente, atuando também no humor e na ansiedade.

E como setembro foi designado o mês para a gente olhar, falar e debater o Alzheimer, fica aqui uma dica importante para quem quer saber mais: a ABRAz – Associação Brasileira de Alzheimer promove várias ações no país inteiro, neste mês para conscientizar, orientar e levar mais informação para quem precisa. Esse ano, o tema escolhido para o mês foi: “Alzheimer: eu não esqueço”.
Porque para cuidar, a gente precisa conhecer, reconhecer, enfrentar, aceitar. E para isso é preciso de ajuda e apoio.

Para saber mais sobre o trabalho da ABRAz, clique AQUI!
Se tiver notando os sintomas em alguém da sua família, não espere Procure o quanto antes um médico neurologista que possa auxiliar no diagnóstico! Quanto antes, melhor!