Do ponto G todo mundo já ouviu falar, o que poucas sabem é que existe um ponto A na vagina da mulher, que também pode proporcionar um novo nível de prazer. Ele também é chamado de AFE (Anterior Fórnix Erótico) e fica localizado bem no fundo do canal vaginal,onde ele encontra o colo do útero.

“É uma área muito irrigada, com muitos vasos e nervos. Existem trabalhos científicos, embora poucos, que mostram uma zona erótica de maior prazer ali”, explica a ginecologista e sexóloga Ana Paula Junqueira.

Para entender bem: o ponto A é uma dobrinha no canal vaginal, que fica quase sempre sob o colo do útero. Exatamente por isso ela é muito pouco estimulada, apesar de bem sensível. Quando  estamos excitadas, o útero contrai e sobe deixando o fórnix mais exposto, e é aí que a mágica pode acontecer.

ponto-a-fica-localizado-entre-o-final-do-canal-vaginal-e-o-colo-do-utero-1515526968765_v2_750x421

Como estimular o ponto A Por ter essa localização profunda na vagina, é uma região com a qual poucas mulheres têm contato. “Muitas relatam dor quando a penetração chega ao fundo do canal, mas muitas outras descobrem ali uma região de prazer”diz Ana Paula,que orienta que a melhor coisa a fazer para descobrir se você tem ou não prazer no ponto A é se conhecer.

“você precisa tentar um toque mais profundo.Isso pode ser com seu parceiro,um brinquedo ou o toque”, Orienta.

Para começar,teste com o dedo ou um vibrador,procurando estimular essa região que fica na parte da frente (meio que na barriga)do canal, em contato com o útero. Durante um momento de excitação,massageie com movimentos suaves a área e repare como seu corpo reage.

Se quiser usar o ponto A durante a penetração, posições com as pernas para cima ( como a de exame ginecológico ou com os joelhos perto da barriga) facilitam,pois encurtam o canal vaginal, permitindo que o pênis entre mais profundamente. Mas cuidado: bater o pênis no colo do útero pode causar dor. peça para o homem ir com cuidado.

“A vagina é uma parte do corpo humano muito interna e, por isso, ainda muito desconhecida”, afirma. Mas mais que acreditar se existe ou não um ponto de prazer, as mulheres devem se tocar, conhecer seu corpo e entender o que funciona ou não um ponto de prazer, as mulheres devem se tocar, conhecer seu corpo e entender o que funciona ou não. “Muita mulher não se toca nem se conhece. É uma questão de autodescoberta, de entrar em contato com uma região que tem muita sensibilidade”.